Em busca da Alegria

Em busca da Alegria

Em um domingo desses na igreja, estávamos todos concentrados, cantando ao Senhor. Mas, naquele dia eu parei um pouco de cantar, e comecei a olhar o rosto dos irmãos. Rapidamente, minha mente me transportou para um velório. Os irmãos estavam com os semblantes cansados, desanimados. Provavelmente, tiveram uma semana pesada e devem ter gastado suas últimas energias no sábado, pois naquele domingo estavam miando ao invés de cantar.

O andamento da música estava um pouco menor do que eu esperava. Talvez eu estivesse mais acelerado; isso não é incomum, pois internamente eu sempre ando acelerado. Contudo, as próprias músicas escolhidas falavam de vitória, mas a fisionomia e a altura das vozes comunicavam que ali a derrota estava instalada.

Olhei mais uma vez para os bancos. Encontrei alguns olhos atentos, outros dispersos. Estávamos em um culto ao Senhor! A pregação era sobre a obra de Cristo na Cruz e a vitória que isso nos proporcionou contra o pecado, a morte e próprio Satanás. Mas, os alaridos eram incertos. A impressão é de derrota.

Eu fiquei imaginando: qual é a mensagem que passamos para as pessoas? Quem quer ser crente como você? Quem se anima a conhecer sua igreja local? Quem fica animado em saber o que te faz assim tão especial? Mais do que isso, quem quer conhecer o Jesus que você prega?

John Piper desenterrou uma doutrina importantíssima que ela chama de hedonismo cristão ou o prazer cristão. O que isso significa? Significa que o crente tem prazer em ser crente e busca cada vez mais a felicidade nesse propósito! De maneira direta, nosso prazer é Cristo! Os apóstolos não foram movidos pelos sofrimentos, mas pela glória que estava proposta! Eles pensaram a longo prazo, como diriam alguns atuais escritores seculares. Pensar no que está reservado para nós como algo que é superior a tudo que temos faz com que olhemos com mais vigor e prazer a vida.

As dificuldades e sofrimentos presentes não serão tão duros, pois nossos pés estão protegidos e calçados pelo evangelho. Nossas lágrimas serão mais doces! Nossos sonhos mais reais! A igreja será mais vibrante! Seus familiares, amigos, colegas, cônjuge irão segui-lo até a Cruz, pois a Cruz não é o fim, mas o começo de uma esplêndida jornada para a glória!

Ele ressuscitou! Ele ressuscitou! Ele ressuscitou! Levante-se, irmão, desse banco, e brade ao mundo: ele ressuscitou! Ele ressuscitou! Ele ressuscitou! A pedra foi removida!

Pare agora! Pense! Sua vida pode estar complicada, arrebentada. Sua família, casamento podem estar um fracasso! Todavia, se você ficou paralisado com os espinhos da vida, você não olhou direito! Pare! Olhe para o que está o proposto em Cristo: glória! Vitória!

Quando a glória e vitória são grandes, o caminho vira apenas um passo. Entretanto, enquanto o seu foco for na dor, na luta, nas dificuldades, nas falhas que sempre existirão dos seres humanos e de seus pares, você continuará amuado, triste, cantando alarido incerto. Perceba que a questão não é o ritmo ou a melodia, mas o quanto você crê naquilo que está cantando.

O agigantamento de suas dificuldades significa diminuição de Deus!

Veja, observe! Eu não estou falando que seus problemas acabarão e que você prosperará nos negócios ou financeiramente, não! Isso poderá acontecer com seu esforço e trabalho. Estou falando que sua perspectiva diante de vida, família, casamento, filhos, negócios, igreja mudará quando você perceber que você tem sido muito menos do que pode ser.

Existe um mal crescente na igreja, em algumas denominações: é o apequenamento da ideia de Deus e de suas promessas eternas.

O que fez Paulo enfrentar tudo o que enfrentou? Não foi a certeza dos sofrimentos, mas foi a certeza da glória que estava para se revelar em Cristo Jesus.

Talvez, querido irmão, esse seja o seu problema: você não tem certeza do que te espera! Você não sabe seu objetivo nessa vida. Você desconhece o propósito de sua criação. Você conhece Bíblia, mas não conhece o Deus da Bíblia! Como assim? Isso é possível? Claro que sim! Você conhece versículos e textos, mas esses versículos e textos não te levaram a um relacionamento vívido com quem os inspirou.

Saber é fazer! Saber é viver!

“Mas, como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam” (1 Co 2.9).

Termino com a frase do próprio John Piper e sua teologia da glória:

“Uma coisa lhe dará a vitória: Fé é a vitória que vence o mundo, e fé é estar satisfeito com tudo o que Deus é para nós em Jesus. Você tem que bater nessa tecla toda manhã para que os males que tentam agarrá-lo percam suas presas. “Você não pode me pegar. Eu vi a Jesus nesta manhã.” Luxúria, você não pode me pegar. Avareza, você não pode me pegar. Temor dos homens, você não pode me pegar. Amargura e raiva, vocês não podem me pegar. Eu vi a Jesus nesta manhã”.

Na alegria de Cristo,
Rev. Ricardo Rios Melo



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Igreja missionária, o que é isso?

Corpos descartáveis: uma breve análise de uma sociedade perversa