sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Onde você passará o réveillon?

Reveillon - Queima de fogos em Copacabana - Rio de Janeiro
Foto: Rio Convention & Visitors Bureau

Onde você passará o réveillon?

Essa pergunta é feita com freqüência nesses dias que antecedem o fim de ano: onde passaremos o réveillon? A palavra réveillon é derivada da palavra francesa réveiller, que significa despertar. Portanto, a pergunta ao pé da letra seria: onde você despertará?

A comemoração desse dia remonta a tradição romana que “tem origem num decreto do governador romano Júlio César. Ele fixou o 1º de janeiro como o Dia do Ano-Novo, em 46 a.C. Os romanos dedicavam esse dia a Jano, o deus dos portões. O mês de Janeiro deriva do nome de Jano, que tinha duas faces: uma voltada para frente e a outra para trás”.[1]

Hoje essa data é marcada por simbolismos e superstições: usar o branco, por exemplo, como o símbolo da paz. Contudo, se isso desse certo, era só pedir para todos os exércitos do mundo vestirem-se de branco para se ter a paz mundial. Todos os anos, as pessoas se vestem de branco e proclamam a paz, regadas a champanhe. Mas, no dia seguinte ou até na própria noite, já se pode perceber que isso não é eficaz.

Abram de Graaf fala com propriedade sobre a situação desse mundo caótico e que desconhece a paz: “Assim é a situação no mundo, irmãos. A paz do mundo é uma mentira. O mundo fala sobre paz, mas planeja maldade; não há justiça e por causa disso não há paz neste mundo, e nunca haverá, se depender do homem. Nem no mundo, nem nas igrejas, nem nas casas. A verdadeira paz não vem do homem, a história do mundo já provou isso; a verdadeira paz vem do Senhor”.[2]

No réveillon, além de proclamarem a paz e fazerem e praticarem vários tipos de atos místicos e sem sentido, as pessoas fazem projetos que nunca irão cumprir: mudança de comportamento, parar de fumar ou de beber, emagrecer etc. É o ano da mudança!

Querido, não tenhamos a ilusão de que as coisas mudarão apenas porque o ano é novo, pois se você continuar o mesmo, o ano será velho.

Acredito que a pergunta para esse fim de ano é essa: como você passará o ano novo? Poderíamos ser mais precisos: você despertará no ano novo? Se você já é cristão, será que se despertará para uma vida de santidade e trabalho? Será mais ativo na igreja e fora dela ou continuará dormindo?

Se você não é crente, a pergunta é essa: você sabe onde despertará? Parece uma pergunta apelativa, mas, pense comigo, assim como os anos passam e os dias correm, nossas vidas estão se esvaindo por entre nossos dedos. Não temos controle do tempo, portanto, melhor que saber sobre onde passaremos o réveillon, é saber se despertaremos bem: céu ou inferno.

Faça um ano diferente, sem mentiras para si mesmo: desperte desse sono mórbido.

“Mas todas as coisas, quando reprovadas pela luz, se tornam manifestas; porque tudo que se manifesta é luz. Pelo que diz: Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará. Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor” (Ef 5. 13-17).

Rev. Ricardo Rios Melo

Nenhum comentário: