quinta-feira, 22 de maio de 2014

Minha casa minha vida




Minha casa minha vida

Rev. Ricardo Rios Melo
 
 

 

Essa frase é muito popular no Brasil e virou um programa de governo. No bojo dessa ideia, temos uma sacada política em reconhecer que a aquisição de uma casa representa, subjetivamente, a conquista do seu espaço e de sua individualidade.

A conquista da casa é a certeza de que você terá um lugar para recostar sua cabeça. Um endereço para voltar. Um lugar para dizer que é seu e que te pertence.  

Que emoção deve ter uma pessoa ao receber as chaves de sua moradia própria! A alegria e satisfação da conquista. Os obstáculos transpostos. Deve, com razão, passar um filme na cabeça com os piores e os melhores momentos: lutas, dificuldades e, finalmente, a tão esperada vitória!

Quando alguém está muito distante de seu país e de sua família, a primeira coisa que diz ao chegar ao lar é: que bom estar em casa! A ideia de casa como pertencimento, local específico, habitação é muito comum em nosso linguajar e imaginário.

No Antigo Testamento, a ideia de casa está ligada à família: Disse o SENHOR a Noé: Entra na arca, tu e toda a tua casa, porque reconheço que tens sido justo diante de mim no meio desta geração” Gn 7.1. Portanto, boa parte das vezes em que a palavra casa é usada refere-se à família. Algumas vezes, a palavra aparece no Antigo Testamento junto com a palavra família (parentela) que também representa ligação com pessoas e não com imóveis, paredes, tijolos. Pode também ter o significado de povo: casa de Israel (Ex 16.31).

No Novo Testamento, a palavra casa parece não mudar seu sentido e, inclusive, a ideia de família. Em At 11:14, o texto relata:  o qual te dirá palavras mediante as quais serás salvo, tu e toda a tua casa. O significado de casa deve ser avaliado em alguns sentidos: local de moradia, habitação; família, parentesco, pátria. No caso de Cornélio, ele foi batizado e toda sua família; afinal, seria bastante esdrúxulo batizarem as paredes de sua casa.

É muito importante entendermos que, no Novo Testamento, Cristo diz que tem umas casas, umas moradas que não foram compradas por nós (Jo 14 e 15); das quais a chave não nos pertence. O sentido de vitória e de êxito pessoal é vão. A conquista não é nossa.

Existe um programa Minha casa Minha vida que não é do governo brasileiro, mas do Rei dos Reis e Senhor dos Senhores. Esse programa é gratuito. É totalmente quitado por Jesus na Cruz. O imóvel é quitado. A dívida nossa foi saldada completamente: tendo cancelado o escrito de dívida, que era contra nós e que constava de ordenanças, o qual nos era prejudicial, removeu- o inteiramente, encravando-o na cruz Cl 2:14.

Entretanto, não somos nós que, inicialmente, moraremos na casa. Nós seremos as moradas. Todo aquele que crer no Filho de Deus: Jesus o Cristo, torna-se morada do Espírito. Que grande benção! Que grande responsabilidade! No programa eterno de Deus, o slogan deveria ser: Minha casa, Sua vida! Pois todo aquele que se torna casa de Deus precisa entender que não vive mais para si.

Para ser aprovado no programa minha casa Sua vida, você terá que reconhecer que seu cadastro é negativo: você é um pecador e não merece nada; tem feito o que é mal perante o Senhor e não tem direito a proteção do Seu teto.

Todavia, após ter reconhecido seu passado tenebroso diante do supremo Senhor, o Pai da casa receberá você para pertencer a sua família e você terá uma pátria, um lugar para morar eternamente e uma família para chamar de sua.

A chave é o arrependimento. O fiador eterno é Cristo. O selo do contrato é o Espírito que dá. Quem recebe o pagamento é Deus o Pai.

Querido, Aquele que não tinha onde reclinar a cabeça em vida (“Mas Jesus lhe respondeu: As raposas têm seus covis, e as aves do céu, ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça” Mt 8. 20) concedeu-lhe gratuitamente, em sua morte na cruz, a garantia de que você terá uma morada eterna e descanso indizível!

A casa do programa minha casa minha vida é terrena. A casa que Deus concede é eterna. Que Deus te faça morada do Espírito para que todos nós estejamos naquele grande dia juntos no Lugar (casa = novos céus e nova terra) preparado para nós.

Para aqueles que já são moradas do Espírito, santifiquem suas vidas!

Chegando-vos para ele, a pedra que vive, rejeitada, sim, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo” 1 Pe 2.4-5.

 Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também Jo 14:1- 3.  

 E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não no vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós. Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros. Ainda por um pouco, e o mundo não me verá mais; vós, porém, me vereis; porque eu vivo, vós também vivereis. Naquele dia, vós conhecereis que eu estou em meu Pai, e vós, em mim, e eu, em vós Jo 14:16-20.

 

Que Deus habite em vós!

Rev. Ricardo Rios Melo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nenhum comentário:

Uma igreja relevante

Uma igreja relevante Há muito se fala de que a igreja precisa ser relevante. Arautos da Teologia da Missão Integral dizem que a igreja...